Artigos

 

O que é

A obesidade é uma condição na qual o paciente possui excesso de gordura corporal. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que em 2025 cerca de 2,3 bilhões de adultos possuam sobrepeso e 700 milhões sejam obesos, fazendo com que a obesidade seja considerada caso de saúde pública.

A obesidade está diretamente ligada a patologias como diabetes, hipertensão, doenças do sono (como a apneia), artrite, entre outras. Além disso, a obesidade é um fator de risco para o desenvolvimento do câncer: isso porque ela aumenta o número de inflamações e a produção de insulina no corpo que, consequentemente, estimulam a produção celular e o possível surgimento de tumores.

Uma das maneiras de controlar a obesidade e fazer com que o paciente tenha um estilo de vida saudável é a reeducação alimentar: com ela o paciente aprende quais tipos de alimentos devem ser consumidos, de qual maneira e em quais proporções. Diferente de uma dieta restritiva, na reeducação alimentar o paciente pode consumir todos os tipos de alimento, porém com equilíbrio.

Causas

As causas da obesidade estão relacionadas à má alimentação associada ao sedentarismo, porém, a patologia também pode estar ligada a questões como insônia; fatores genéticos, psicológicos e orgânicos; desequilíbrios hormonais; hereditariedade; e disfunções relacionadas a glândulas. Além disso, medicamentos como esteroides e corticoides também podem estar relacionados a casos de obesidade.

Sintomas

Os principais sintomas referentes a obesidade são:

- Excesso de gordura corporal;

- Dor nas articulações consequentes do sobrepeso;

- Compulsão alimentar;

- Fadiga;

- Ronco;

- Sono;

- Respiração irregular;

- Sudorese;

- Pernas inchadas;

Diagnóstico

O diagnóstico da obesidade é feito por meio do cálculo de IMC (índice de massa corporal). Pacientes com IMC acima de 30 kg/m2 são considerados obesos. O cálculo é feito da seguinte maneira: divide-se o peso (em quilogramas) pela altura (em metros) ao quadrado. A obesidade pode ser classificada em três tipos:

Sobrepeso - O paciente é classificado com sobrepeso quando ele está com o IMC entre 25 e 30. Pacientes com sobrepeso já apresentam sintomas típicos da obesidade.

Obesidade - A obesidade é caracterizada quando o IMC do paciente já é mais alto do que 30. O paciente já pode apresentar doenças relacionadas à obesidade como a diabetes.

Obesidade mórbida - A obesidade mórbida é o tipo mais grave de obesidade. Um paciente é classificado com obesidade mórbida quando seu IMC é maior do que 40. A maioria dos pacientes com obesidade mórbida não consegue mais se locomover e precisa de cirurgia para reverter o caso.

Tratamento

Tratamento Conservador - A princípio o tratamento para obesidade é feito de maneira conservadora com reeducação alimentar aliada a atividades físicas. O objetivo da reeducação alimentar é diminuir a ingestão calórica e orientar o paciente a comer os alimentos corretos e mudar seus hábitos alimentares. Este processo é feito com a orientação de um nutricionista e também tem como objetivo melhorar a saúde e prevenir doenças, ou controlar doenças já existentes (como a hipertensão e a diabetes).

Os exercícios aliados à reeducação alimentar ajudam no gasto energético e também no condicionamento físico, fazendo com que o paciente elimine gordura e ganhe massa, perdendo peso. Nos casos de obesidade sugere-se que os exercícios físicos sejam feitos, em média, de três a quatro vezes por semana por cerca de 40 minutos.

O médico especialista também pode associar o tratamento a medicamentos, dependendo do caso. Dentre alguns destes medicamentos estão antidepressivos, medicamentos que controlam a ansiedade e antidiabéticos.

Cirurgia - A cirurgia é indicada para pacientes obesos em casos nos quais há comorbidades (doenças associadas à obesidade como osteoartrite e apneia) e que possuem IMC maior do que 35 kg/m2.

Uma cirurgia bariátrica pode ser de três tipos: restritiva, mista e disabsortiva. A cirurgia restritiva diminui o tamanho do estômago. A cirurgia mista, além de diminuir o tamanho do estômago, faz o desvio do trânsito intestinal. Já a cirurgia disabsortiva tem o objetivo de reduzir a capacidade de absorção do intestino.

 

Conheça o EVOFLOAT - nosso programa de perda de peso assistido.

 

Mais Informações

A obesidade pode ser prevenida com algumas medidas como:

Exercícios - Pessoas ativas têm menor risco de desenvolverem obesidade. Para isso a prática de atividades físicas deve ser feita, no mínimo, duas vezes por semana. Dentre algumas das modalidades que ajudam no controle do peso estão caminhar, andar de bicicleta e nadar.

Alimentação balanceada - Uma alimentação balanceada deve ser baseada em proteínas, frutas, verduras e grãos. A dica é evitar alimentos processados, fast food, gorduras saturadas, doces e álcool.

Beber água - Estar hidratado tem relação direta com o IMC (índice de massa corporal). Estudos mostram que pessoas que bebem líquidos tem IMC menor do que aquelas que não estão bem hidratadas. Além disso, o corpo costuma interpretar o sinal de sede como fome. Sugere-se o consumo de dois litros de água por dia.

Lembre-se que em casos de obesidade é essencial consultar um médico especialista: ele irá pedir os exames necessários para o diagnóstico e recomendar o tratamento mais adequado para cada caso. Evite qualquer tipo de dieta restritiva, ou automedicação.

Envie sua mensagem

Atendemos no conforto de sua casa. Solicite uma visita para avaliação!

Entre em contato

O diferencial do nosso trabalho está no atendimento individualizado e no acompanhamento evolutivo que é feito a cada sessão.

telefone(11) 9.8141-4806

emailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

facebook@evoluareabilitacao

Responsável técnica

Luciana Gardin
Fisioterapeuta Coordenadora
CREFITO: 3/29860-F