Artigos

O que é

As doenças do sono são aquelas que causam alterações no padrão de repouso e, de alguma maneira, impedem que o paciente descanse de maneira adequada. Quando não tratadas podem gerar danos à saúde: a Evolua pode te orientar durante o processo de diagnóstico e tratamento de patologias relacionadas ao sono.

O sono é dividido em quatro estágios, que são:

  • Fase 1: envolve o sono leve, na qual os movimentos dos olhos e do corpo diminuem. Nessa fase o paciente ainda pode ser acordado com facilidade.
  • Fase 2: conhecida como ‘fase do sonho leve’, é aquela na qual os ritmos cardíaco e respiratório diminuem e o movimento dos olhos cessa.
  • Fase 3: é a fase na qual o metabolismo cai, e é difícil acordar alguém. A fase 3 é uma das mais importantes para o bem estar, já que é nela que o cérebro descansa, para depois entrar na fase REM.
  • REM: a fase REM (Rapid Eye Moviment) é a fase do sono profundo. Nela ocorrem os sonhos, as descargas de adrenalina e o aumento das frequências cardíaca e arterial.

Enquanto nas três primeiras fases há economia de energia, restauração de tecidos, e aumento da massa muscular, na fase REM há a consolidação da memória e do aprendizado, daí a importância do ciclo completo do sono, sem alterações.

Dentre algumas das principais doenças do sono estão a apneia, o bruxismo, a insônia, a narcolepsia, o ronco, a síndrome das pernas inquietas e o sonambulismo.

Apneia

A apneia é a patologia na qual o paciente deixa de respirar durante o sono. Considerada grave, ela atinge mais de dois milhões de pessoas anualmente no Brasil. Predominante em pacientes do sexo masculino, a apneia do sono pode estar relacionada à idade e obesidade.  

Existem dois tipos de apneia: a apneia obstrutiva do sono e a apneia do sono central. A apneia obstrutiva do sono acontece quando há um relaxamento dos músculos da garganta, fechando as vias respiratórias, impedindo que o paciente respire e fazendo com que ele acorde. Já a apneia do sono central ocorre quando o cérebro não emite os sinais necessários para os músculos da respiração.

A apneia causa insônia, sonolência, dor de cabeça, falta de atenção, e sintomas como irritação e nervosismo decorrentes da falta de qualidade do sono. O diagnóstico da apneia é feito com exame de polissonografia noturna. O tratamento nos casos mais amenos da doença é feito com aparelho odontológico, já nos casos mais intensos é feito com máscara de pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP) – a função tanto do aparelho, quanto da CPAP é manter as vias respiratórias abertas, evitando que o paciente tenha apneia. Alguns pacientes precisam de cirurgia no nariz, ou remoção das amígdalas e adenoides para corrigir a respiração e eliminar os quadros de apneia.

Bruxismo

O bruxismo é uma patologia na qual o paciente range e trava os dentes, causando a má qualidade do sono. As causas do bruxismo não são completamente conhecidas, mas estão relacionadas a problemas emocionais como ansiedade, estresse e mau posicionamento dos dentes.

Nos casos de bruxismo o paciente costuma sentir dor de cabeça, dor na mandíbula, bem como insônia e irritabilidade, relacionados com a ausência de um sono de qualidade. O médico irá diagnosticar o bruxismo ao analisar o desgaste dos dentes e pode solicitar um exame de polissonografia. O tratamento para bruxismo combina o uso de placas orais (para evitar que o paciente não desgaste os dentes enquanto dorme) com terapia e medicamentos.

Insônia

A insônia é um distúrbio do sono que faz com que o paciente não consiga adormecer, ou permanecer dormindo. Além de não conseguir dormir, o paciente também sente que o sono não é reparador e permanece cansado durante o dia.

A patologia costuma estar relacionada a condições como estresse, ansiedade e depressão. Irritabilidade, perda de atenção e dor de cabeça também são descritos em quadros de insônia.

O próprio paciente faz o diagnóstico inicial ao notar a dificuldade em pegar no sono e permanecer dormindo durante a noite, a partir disso, o médico irá avaliar o padrão de sono. O tratamento para insônia envolve mudanças de hábito do sono e o uso de medicamentos.

Narcolepsia

A narcolepsia é um distúrbio no qual o paciente apresenta sonolência excessiva e ataques inesperados de sono. Especialistas sugerem que os quadros de narcolepsia estão ligados ao déficit de orexina no hipotálamo. Os sintomas envolvem fraqueza e perda de controle dos músculos, insônia e pesadelos. Também são relatados casos de alucinação, colapsos, quedas e compulsão alimentar. O médico irá ouvir o relato do paciente e, a partir daí, solicitar exames que medem as atividades do coração e do cérebro, bem como testes de sono como a polissonografia e o teste múltiplo de latência do sono (MSLT).

O paciente com narcolepsia é tratado com medicamentos estimulantes, antidepressivos e inibidores seletivos de recaptação de serotonina.

Ronco

O ronco, a princípio, parece ser apenas uma pequena alteração de respiração, mas ele está relacionado a problemas de saúde quando o paciente ronca de forma intensa e pode ter ligação com a apneia do sono. O ronco acontece quando os músculos se relaxam a ponto de obstruir a via respiratória, evitando a passagem de ar para os pulmões. Quando o paciente ronca, ele costuma acordar durante a noite prejudicando a qualidade do sono.

Para diagnosticar um quadro de ronco, além do relato do próprio paciente, o médico irá solicitar exames físicos e polissonografia. O tratamento envolve mudar a posição que se dorme, além do uso de prótese oral. Nos casos mais graves o médico indicará máscara de pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP) e cirurgia.

Síndrome das Pernas Inquietas

A síndrome das pernas inquietas ocorre quando o paciente move as pernas de forma involuntária e contínua, inclusive durante o sono, fazendo com não haja o descanso necessário para um dia produtivo. As causas da síndrome das pernas inquietas não são completamente conhecidas, mas acredita-se que esteja relacionada com o desequilíbrio da dopamina no cérebro. O diagnóstico é feito por meio de polissonografia, além de exames de sangue. O tratamento envolve o uso de medicamentos benzodiazepínicos e estimuladores dos receptores de dopamina.

Sonambulismo

O sonambulismo ocorre quando o paciente realiza atividades enquanto dorme, como caminhar – isso ocorre porque as funções motoras estão ativas, mas a consciência não. As causas do sonambulismo não são completamente conhecidas e a patologia se manifesta mais em crianças, e pode estar ligada a fatores genéticos. O diagnóstico é feito por meio de exames como a polissonografia e o eletroencefalograma, além dos relatos do paciente. O tratamento é feito com medicamentos como benzodiazepínicos e antidepressivos e, além disso, os familiares e as pessoas que convivem com o paciente que possui insônia são orientados pelo médico especialista a tomar certos cuidados para que não haja nenhum tipo de incidente durante os episódios de sonambulismo.

Mais Informações

Lembre-se que ao suspeitar que possui qualquer tipo de doença do sono, a primeira medida é consultar um médico especialista: a Evolua pode te orientar sobre diagnósticos e tratamentos específicos para o seu caso

Envie sua mensagem

Atendemos no conforto de sua casa. Solicite uma visita para avaliação!

Entre em contato

O diferencial do nosso trabalho está no atendimento individualizado e no acompanhamento evolutivo que é feito a cada sessão.

telefone(11) 9.8141-4806

emailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

facebook@evoluareabilitacao

Responsável técnica

Luciana Gardin
Fisioterapeuta Coordenadora
CREFITO: 3/29860-F